|»HOME ..| »MINISTÉRIO..| »PASTOR |.. »CONTATOS ..|»ORAÇÃO |.. »TV PALAVRAS DA VIDA
João 14:6 | Jesus disse: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida." Envie um e-mail para o Pastor Sérgio Adicione esta página no seu Favoritos
Menu Clique e leia mais de 200 estudos bíblicos

ATOS DOS APÓSTOLOS / CAP 1

INTRODUÇÃO: O livro de Atos dos Apóstolos é um tesouro muito rico, quanto mais você lê mais luz você adquire. O livro de Atos dos Apóstolos é a espinha dorsal do NT, ele fica entre os evangelhos e as Epístolas, sem entender o livro de Atos dos Apóstolos é quase impossível compreender as cartas, ele narra a histórias de homens pobres desprezados e indoutos (Atos 4: 13) que com o Poder do Espírito Santo (Atos 1: 8) fizeram a maior obra evangélica que o mundo já viu (Jo14: 12). Atos dos Apóstolos conta a história da Primeira Igreja e das primeiras Missões, é um exemplo a ser seguido (Jr 6:16) é uma revelação de Deus, a visão verdadeira de como é a verdadeira igreja de Jesus Cristo. Um modelo da igreja que vai encontrar com Jesus nas nuvens (I Ts. 4: 13 – 17).


O LIVRO

O livro de Atos dos Apóstolos foi escrito provavelmente entre os anos 61 e 63 DC, o livro termina abruptadamente com Paulo no seu segundo ano de prisão em Roma que teve inicio acerca do ano 60 DC. O livro não dá nenhuma informação sobre o martírio de Paulo que morreu decapitado entre 66 e 68 DC.

Há duas linhas de entendimento teológico sobre o livro de Atos dos Apóstolos: Uma teoria é de que o livro foi escrito primeiro que o Evangelho de São Lucas, e a outra é que o Evangelho de São Lucas foi escrito primeiro. Eu fico com a segunda teoria, pois tudo indica que o Livro de Atos dos Apóstolos é uma continuação do Evangelho de São Lucas (Segundo Tratado), podemos observar alguns detalhes: em (Atos 1: 1) Lucas fala de um Primeiro Tratado que já tinha sido escrito, observe o que ele escreveu – Fiz o Primeiro Tratado, oh Teófilo, acerca de tudo que Jesus não só começou a fazer, mas ensinar (Atos 1: 1) Veja que ele fala de algo que foi escrito exclusivo sobre Jesus.


O AUTOR

Baseado na narrativa de Atos 1: 1 e do Evangelho de São Lucas 1: 3 o autor dos dois livros é o mesmo, e há uma opinião que é aceita universalmente que o Evangelho de S. Lucas e o Livro de Atos dos Apóstolos têm um autor em comum, o médico Lucas (Cl. 4: 14). Gentio convertido Lucas foi enviado por Teófilo (Alguém muito importante) para investigar o acontecimento dos três anos do Ministério de Jesus, com certeza Lucas se aproximou dos apóstolos, discípulos e de todos que conheceram e andaram com Jesus. (Lc. 1: 1 – 3) o papel de Lucas no NT é de grande importância. Escritor, médico, evangelista companheiro e amigo do Apóstolo Paulo chegando a fazer parte da equipe missionária de Paulo (II Tm. 4: 10-11; Fm.: 24).

DESTINATÁRIO

O Livro de Atos dos Apóstolos é destinado a Teófilo, embora escrito para alguém específico, muitos acreditam que ele tenha sido dirigido a todos os que amam a Deus, pois o nome Teófilo significa “Aquele que ama a Deus”. De qualquer modo Lucas escreveu Atos para ser lido por muitos, esses leitores tinham muita familiaridade com o Império Romano e com a Ásia Menor, mas talvez não com a Palestina, o que explicaria a informação cuidadosamente detalhada de Lucas sobre determinados lugares.

Lucas ao escrever Atos dos Apóstolos começa narrando o final do Evangelho de São Lucas (Lc 24: 48- 53), mostrando para os leitores que a morte, ressurreição e ascensão de Cristo não significariam o final (Atos 1: 10- 11), mas sim o começo da Igreja (Lc 22: 29), o inicio do Reino de Deus na Terra (Mt. 3: 2; Atos 1: 3; Lc. 16: 16). Da mesma forma que o encerramento de Atos dos Apóstolos de forma abrupta não significa o final, mas sim o começo, Atos dos Apóstolos não acabou, mas renasce a cada dia na vida de um crente novo convertido (Atos 8: 26- 39), na vida de uma igreja destemida que insiste em pregar a Palavra genuína (Is 8: 20; Jr 23: 29), a andar nas marcas da Igreja Primitiva (Atos 8: 1- 8; Ap 2: 4; Jr. 6: 16).

ATOS DOS APÓSTOLOS - CAPÍTULO 1

Introdução: A ascensão

ATOS 1: 1 - Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo o que Jesus começou, não só a fazer, mas também a ensinar,

Fiz o primeiro estudo. Teófilo certamente era uma pessoa de posição, um alto funcionário do império romano, que de fato existiu. Tudo indica que Teófilo tinha interesse em conhecer com mais profundidade os três anos do ministério de Jesus. Lucas esta fazendo a narração das primeiras informações que obteve a respeito de Jesus, informações que mais tarde viriam a ser o Evangelho Segundo São Lucas (Lc 1: 1- 3). Observamos que ele coloca no tratado todas as informações do que Jesus fez e ensinou, ou seja, o Evangelho de São Lucas é a revelação do que Jesus fez (Jo 10: 36- 38) e ensinou (Jo 7: 16- 17). A pergunta é: O que motivou este homem á patrocinar a ida do medico Lucas a Jerusalém buscar informações sobre Jesus? (Atos 8: 1-4; Lc 1: 1-4). Quem motivou? Quem motivou, foi quem determinou que o livro fosse ser escrito (Mt 26: 6- 13). Teófilo foi movido pelo Espírito de Jesus (Atos 16: 6- 7) e bancou a viagem de Lucas a Jerusalém. Teófilo tinha desejos no coração, ele queria saber o que Jesus fez e queria conhecer o que Jesus ensinou e para isto ele pagou o preço foi em busca (Jr 29: 11- 13; I Co 2: 9). Veja o resultado: Dois livros; Evangelho de São Lucas e Atos dos Apóstolos (II Pd 1: 16- 21).  Jesus não só começou a fazer e a ensinar, mas Jesus continua a fazer e a ensinar (MT. 28: 18- 20). Jesus através do seu Espírito (Atos 16: 6- 7) é o mesmo (Hb 13: 8), a obra continua (Jo 14: 12- 26). Aqueles que têm interesse em conhecer o Senhor, vão conhecer (Atos 10: 1- 46; Jo 4: 1- 24; Atos 2: 37- 39).

ATOS 1: 2 – Até o dia em que foi recebido em cima no céu, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera.

Lucas fala de seus escritos, ele fez um relatório de tudo que Jesus fez e ensinou nos três anos de seu Ministério terreno. Veja que ele destaca que Jesus só foi recebido no céu depois de dar os mandamentos pelo Espírito Santo aos apóstolos que escolhera (Lc 6: 12- 13; Mt 10: 1- 4). Por quê? Porque se fazia necessário saber que aqueles que estavam pregando o Evangelho tinham realmente recebido o mandamento do Senhor Jesus. Por que Lucas escreve que o mandamento veio pelo Espírito Santo? Simples! Você acreditaria na obra de Cristo sem o Espírito Santo? (Jo 14: 13- 26). Jesus iria ascender ao céu, mas a obra iria continuar (Jo 14: 8- 12). Teófilo só recebeu a informação por obra do Espírito Santo (Atos 8: 1-4). Quando Lucas escreveu o Evangelho, Jesus já estava no seio do Pai (Atos 7: 55- 56). No céu na Terra, pessoalmente ou através do Espírito Santo, na voz dos pregadores, dos mestres, Jesus continua dar os seus mandamentos (Jo 6: 63; Jo 7: 16- 17; Hb 13: 8). 

ATOS 1: 3 – Aos quais também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias, e falando do que respeita ao reino de Deus.

 Jesus depois de ter padecido, apresentou vivo, ou seja, ressurreto e glorificado (Jo 20: 11- 19), com toda força e com todo poder (Ap 1: 17- 18; Fp 2: 9- 11). Com infalíveis provas, ou seja, provas que não poderiam ser contestadas (Jo 20: 19- 30). Por quarenta dias Jesus já ressurreto com um corpo glorificado conviveu com cada um dos discipulos. Aproveitou o momento para tratar intimamente á cada um deles. Jesus olhou nos olhos de cada um (Jo 21: 14- 19). Jesus conhecia seus medos e fraquezas, Jesus sabia das suas preocupações (Jo 21: 20- 22). O medo de ficar só, de como continuar a obra sem o seu grande mestre era visível (Jo 16: 5- 6). Estes quarenta dias foram muito intenso, com muito ensino sobre o Reino de Deus, muitas orações e muito jejuns, e os discipulos apreenderam (Atos 6: 1- 4), não só os apóstolos aprenderam, mas toda a igreja (Atos 12: 1- 12; I Ts 5: 17; Lc 18: 1).

Quarenta dias tempo de ensinamento, quarenta dias é muito usado na Bíblia para dar significado ao tempo de receber algo de Deus, Ministério (Lc. 4: 1 – 15), tempo de receber mandamento (Dt. 9: 1 – 10), tempo para receber ordem e autoridade de Deus (I RS. 19: 7 – 16). Não foi diferente com os Apóstolos e discípulos, por Quarenta dias Jesus após a ressurreição ficou com eles preparando – os para o ministério, ensinando-os sobre os mandamentos do Reino, preparando-os para receber a ordem, autoridade e o poder que viria sobre eles (Atos 1: 5- 8; Atos 2: 1- 4; I Co 12: 1- 13).

ATOS 1: 4 - E, certa ocasião, estando comendo com eles, ordenou-lhes: Não vos ausenteis de Jerusalém, mas esperai a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes.

Certa ocasião, estando Jesus comendo com eles, ou seja, sentado com eles, muito próximo, comendo o pão e bebendo o vinho na mesma mesa, como costumava fazer (Jo 12: 1- 2; Lc 22: 7- 14). O relacionamento de Jesus com eles era muito próximo (Lc 10: 1- 24; I Co 1: 18- 31), o relacionamento de Jesus com a igreja é próximo (Ct 2: 16), é tão próximo, que ela é o corpo (I Co 12: 12- 27), a noiva e a esposa (II Co 11: - 2; Jo 3: 22- 29; Ap 19: 7). O relacionamento de Cristo com a igreja é íntimo, é tão íntimo que Jesus não quer ninguém de fora (Mt 11: 25- 28; Jo 10: 16; Jo 3: 16), por isso Ele disse: “não vos ausenteis de Jerusalém, mas esperai a promessa do Pai”. A promessa era para Jerusalém, não era para outra cidade, vila ou qualquer outro lugar (Ez 39: 29; Zc 12: 9- 10). A promessa é para á igreja toda (Jl 2: 28- 32) e não para apenas um grupo (Atos 2: 37- 39; Gl 3: 8- 14: I Co 12: 1- 13).

A igreja só existia em Jerusalém, portanto somente os que estavam em Jerusalém participaram da promessa (Atos 2: 1- 4). A promessa era para toda a igreja (Atos 2: 37- 39; I Co 12: 12- 13). À medida que a igreja crescia a promessa se estendia a, aqueles que iam sendo acrescentado ao corpo (Atos 4: 1- 35; Atos 6: 1- 7; Atos 9: 1- 18; Atos 22: 1- 16; Atos 11: 1- 17; Ef 1: 13). Deus tinha um plano. Qual? A promessa tinha que alcançar os gentios (Atos 10: 1- 48; Jo 10: 16- 17; Gl 3: 1- 14; Mt 12: 18- 21; Is 42: 1- 9). Neste primeiro momento da igreja, no dia do derramamento do Espírito Santo; será que ninguém ficou de fora? Jesus falou para eles não se ausentarem de Jerusalém. Possivelmente alguém ficou de fora, por um motivo, ou outro, alguém se ausentou de Jerusalém, alguém perdeu a benção, não confiou, não deu credito á Palavra (Is 53: 1; Jo 7: 16- 17). Era necessário esperar, esperar não é uma virtude passiva, observamos que eles não esperaram sentados, ou sem fazer nada, eles entenderam que era para esperar em atividade, eles foram orar (Atos 1: 13 e 14; Lc 18: 1; I Ts 5: 17).

Aqueles que permaneceram fiéis receberam a promessa do Pai (Mt 25: 1- 13; Sl 101: 6; Ap 22: 12). Jesus continua: “que de mim ouvistes”. Jesus estava lembrando eles. Olha! Eu já falei sobre o assunto (Jo 14: 12- 17; Jo 15: 1- 27; Jo 16: 1- 16). Não é da vontade de Jesus que o crente se ausente do culto, da igreja. Por quê? Quanto mais distante dos cultos, mais distante o crente esta da igreja; distante da igreja significa, longe da promessa (Js 21: 45; Nm 23: 19; Sl 27: 14; I Co 2: 9).                                                                                 

ATOS 1: 5 – Porque na verdade João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.

Até aquele momento a igreja só conhecia o batismo de João, o batismo do Espírito Santo eles não conheciam, mas precisariam conhecer. A igreja iria precisar do Espírito Santo, o crente iria precisar do Espírito Santo. O batismo de João foi a primeira marca que a igreja recebeu (Mt 3: 13- 15; Mt 3: 1- 6), por isso Jesus mencionou o batismo de João. Como assim não estou entendendo? A primeira demonstração diante de Deus, dos anjos, dos demônios, dos homens e da sociedade que o crente faz parte da igreja de Cristo é o arrependimento. Onde não há arrependimento não há perdão de pecado (Lc 3: 1- 3), ninguém pode fazer parte da igreja de Cristo se não tiver os seus pecados perdoados por Deus (Rm 5: 12- 21; Is 53: 1- 10; Dn 9: 1- 24; Rm 10: 8- 13). A igreja é lugar de pecadores (Mt 9: 9- 13), mas não é lugar do pecado (Is 59: 1- 2). Se arrependa de seus pecados, aceite Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador e faça parte da igreja de Deus (Rm 10: 8- 13; Atos 16: 31; Ap 3: 20).

Porque na hora de se passar pelas águas é necessária a confissão de arrependimento? Para perdão dos pecados. Como ter os pecados perdoados se não há arrependimento? A confissão publica é necessária (Atos 2: 38; Rm 10: 9). É importante saber: O arrependimento nasce no coração antes das águas (Rm 10: 17), o batismo nas águas só simboliza o que já aconteceu no coração do convertido (Atos 10: 1- 47; Rm 4: 17). Qual o primeiro passo depois de se arrepender? Aceitar a Cristo (Atos 8: 26- 38; Rm 10: 8- 10). A partir do momento que o homem se converte se arrepende e aceita a Cristo, tem seus pecados perdoados, portanto ele já faz parte da igreja do Senhor (Ef 1: 13; Atos 2: 37- 39; Atos 10: 47). O batismo de João é testemunho visível de fé, e arrependimento do homem (Atos 8: 26- 38; Atos 22: 1- 16; Atos 9: 1- 18). A rejeição do homem pela sua natureza velha (II Co 5: 17; Lc. 3: 1-8). A morte do velho homem e a ressurreição de um novo homem (Rm 6: 1-7). Batismo por imersão: Mergulho ou sepultamento do velho homem na água (Atos 8: 26-38; Atos 1: 10-47), o fim do velho e o inicio do novo (Jo. 12: 24-25), o surgimento de uma nova criatura (Cl. 2: 12,13; I Pd. 3: 21; II Co. 5: 17).

O batismo nas águas faz parte das doutrinas de Cristo (Hb. 6: 1,2; Mc. 16: 1,2; Mt. 28: 18,19). O batismo nas águas é uma ordem de Deus e não um pedido (Jo. 3: 1-5; Mc. 16: 15-16; I Jõ 5: 8). O batismo nas águas é necessário para testemunho (Mt 3: 13- 15; Rm. 6: 1-6; Atos 2: 38). A alma é o mais importante (Lc. 23: 26-43; Atos 8: 26-38; Pv. 11: 30). A alma é mais importante que as regras (Mt. 23: 23). Pedro dava muita importância às regras. (Atos 10: 1-16; Gl. 2: 1-14). Fazer a vontade de Deus é o dever (Atos 10: 17-29; I Sm. 15: 22; Ec. 12: 12-14). O batismo nas águas é uma decisão única e pessoal (Atos 8: 26-38). O restante da caminhada do novo convertido é com o Espírito Santo (Atos 8: 39; Ef. 1: 13; Jo. 17: 12; Jo. 18: 1-9; Jo. 14: 15-26; Jo. 16: 7-15; II Co. 3:3).

Como o Espírito Santo ainda não havia sido derramado, era importante lembrar que o primeiro passo eles tinham dado, só que precisava mais; a outra parte. Qual? A parte que vinha do céu (Mt 21: 23- 25; Jo 3: 1- 5). A igreja é dividida em duas partes: A Humana com o Divino, o físico e o espiritual (Jo 3: 5). A parte humana é formada por homens que se arrependem (Ap 5: 1- 10), e a parte divina é formada pelo Pai, o Filho e o Espírito Santo (Ef 4: 1- 6; Jo 14: 20- 23; Jo 10: 22- 30; Mt 28: 16- 20). O corpo é Cristo (Ef 2: 11- 16; Ef 5: 31- 32) e os membros são os homens (I Co 12: 12- 27; Rm 12: 1- 5). Cristo iria embora; como ficaria a igreja? Jesus era o Cristo, o consolador que veio da parte de Deus. Ele iria voltar para Deus; como ficaria a igreja? Ela iria precisar de outro consolador e de um consolador que ficaria para sempre (Jo 14: 15- 16). Como ela poderia testemunhar a Cristo? (Atos 8: 1- 4). Como a Palavra poderia ter permanecido? (Mt 24: 35). Como nós hoje, agora, neste momento poderíamos estar estudando a Palavra e cada dia tirar coisas novas? (Mq 4: 1- 2; Mt 13: 44- 46) O ocorrido em Jerusalém nos primeiros dias da igreja (Atos 2: 1- 18) é o grande responsável (Atos 14: 12- 26; Jo 16: 7- 14; Is 48: 17; Is 54: 11- 13). O batismo no Espírito Santo é o batismo de um corpo e de todos os seus membros (Atos 2: 1-4; I Co. 12: 12-14 e 27; Ef. 4: 1-5). Cumprimento da promessa de Jesus para sua igreja (Jo. 14: 14- 16; Jo. 16: 7; Atos 1: 4- 5). Cumprimento da profecia de Joel (Jl. 2: 28-32; Atos 2: 16-21). Cumprimento da promessa de Deus há Abraão seu servo (Gl 3: 1- 29; Gn 12: 1- 3; Gn 18: 16- 18). Cumprimento da Palavra viva de Deus para todos aqueles que se convertem e passam a fazer parte do corpo, quer judeu, quer grego, quer servo, quer livre, quer macho, quer fêmea, ou seja, todos (Gl 3: 27- 29; Atos 2: 37- 39; Pv 1: 20- 23; Is 32: 11- 15; Is 44: 1- 3; Ez 39: 29; Zc 12: 10ª; Nm 23: 29). A presença do Espírito Santo na vida do crente (Ef. 1: 13,14; Jo. 14: 15-17). O batismo nas águas (Atos 8: 26-38; Atos 10: 47- 48; Rm. 6: 1-6). A justificação pelo sangue de Jesus (Rm. 5: 1-9; Ap. 5: 1-9; Rm. 10: 4-13; Rm. 8: 33). Estes três são os que dão testemunho na terra (Atos 1: 8; e estes três concordam (I Jo. 5: 8; Ef. 4: 1-5).

A promessa de Jesus para os discipulos não era uma profecia do Velho Testamento para longos tempos (Dn 12: 1- 4), mas para poucos dias (Atos 1: 4). Jesus ficou ensinando os apóstolos por quarenta dias (Atos 1: 1- 3). Da ascensão de Jesus ao céu até o derramar do Espírito foram dez dias em que eles ficaram sem Jesus (Dt 16: 1- 9). Sem a Palavra de Deus, sem Profetas, sem o Espírito Santo, pois o Espírito Santo ainda não tinha sido derramado. Ou seja, ficaram dez dias no escuro (Jo 8: 12). Esta Palavra nos ensina que a momentos em nossas vidas que temos de aguardar (Sl 40: 1). Quando não temos respostas de Deus, de Jesus e nem do Espírito Santo, tomar decisões a respeito da obra ou até de nossa vida secular é muito perigoso (I Pd 5: 8; Ef 4: 27), com certeza não vamos ter os frutos que esperamos (Is 1: 19). Começamos, mas no caminho o fracasso vai ficar evidente (Jo 15: 1- 5; Sl 139: 7; Jo 6: 68).

ATOS 1: 6 - Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo a Israel?

Depois do Reinado de Salomão, o Reino de Israel foi dividido e levado cativo, pela Síria, Babilônia, Pérsia, Grécia e Roma. O povo na época de Jesus acreditava que ELE era um Rei semelhante a Davi, um rei que viria com o objetivo de libertá-los definitivamente da escravidão. De fato Jesus vinha não só para libertar os judeus, mas também os gentios (Atos 10: 1- 48). Não libertar da escravidão física, mas sim da escravidão espiritual, para libertá-los da escravidão dos pecados, dos vícios, do legalismo em fim da lei. Trazendo uma nova Dispensação: A Dispensação da Graça (Ef 2: 1- 9; João 8: 31 – 36; Rm. 6: 14; Is. 43: 19; Ap. 21: 5).

ATOS 1: 7 - E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder.

Eles fizeram muito bem em perguntar. Querer receber revelação de Deus é muito importante, só que temos que entender; que quem está no comando é o Pai (Is 45: 5- 7). Por que existem as seitas? Por que as pessoas falam o que Deus não mandou falar, pregam o que Deus não mandou pregar, fazem coisas que Deus não mandou fazer? Perguntam a Deus, não recebem a resposta que desejam (Dt29: 29), recorrem a os demônios (Gl 1: 6- 8; Cl 2:18; I Sm 28: 6- 7). Os discipulos perguntaram a Jesus, não receberam a resposta que queria, mas perguntaram (Jr 33: 3). O problema não é perguntar, mas sim aceitar a resposta de Deus (Ez 3: 2; Is 34: 16). Qualquer revelação que traga dia, hora, meses e anos com respeito da vinda de Cristo, não creia é obra de falso profeta (Mt 24: 23- 27 e 36; I Jo 4: 1; Dt 18: 21- 22).

ATOS 1: 8 - Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra.

Aqui é clara a necessidade da direção do Espírito Santo, a necessidade de sermos guiado pelo Espírito Santo, a necessidade do Poder do Espírito Santo, sem compreender isto fica difícil fazer a obra, fica difícil expandir o Evangelho e fica difícil crescer (Jo 14: 12- 26; Jo 16: 5 – 15; Jo 15 1- 27). É necessário mergulhar, imergir, ser cheio, completo. (Ef. 5: 18). O poder faz parte da natureza do Espírito Santo (Lc. 4: 14-19; Atos 10: 34-38). Veja: (Rm. 15: 18,19; I Co. 2: 1- 5; I Co. 12: 1-11; Lc. 4: 14; Mq. 3: 8). O batismo do céu é o cumprimento da promessa do Senhor Jesus (Atos 1: 4- 5; Atos 2: 1-4). O Batismo do céu é a presença permanente do Espírito Santo na igreja (Jo 14: 15- 16; Ez 39: 29; I Co 12: 12- 13).

Os primeiros capítulos de Atos dos Apóstolos nos fazem entender que só Pedro e alguns discipulos estavam realmente revestidos com o poder (Atos 3: 1-8; Atos 5: 1-12; Atos 6: 1- 18; Atos 8: 1-7). Por que todos aqueles que estavam naquele lugar reunidos com Pedro (Atos 1: 15) não são mencionados pelo escritor fazendo sinais prodígios, se o fogo caiu sobre todos? (Atos 2: 1-3). Porque a casa de Cornélio não é mencionada pelo escritor fazendo sinais e prodígios? (Atos 10: 1-47).  É como hoje, não mudou nada (Hb 13: 8; I Co 12: 1-27). Todos são batizados em um só Espírito, a todos foi dado de beber de um só Espírito (I Co 12: 13), mas nem todos são revestidos de poder. Pense! Existem crentes que se encheram do Espírito Santo, falaram em línguas e continuam falando. Segundo eles foram batizados. O que aconteceu em suas vidas? Nada. Continuam como membros de bancos (Nm. 11: 16-25).

Já outros, não passaram por esta experiência e tem uma vida de oração de jejum, comem a palavra, pregam a palavra, expulsam demônios e curam os enfermos (Mc. 16: 15-18). Na igreja de Deus, igreja cujo, o Espírito Santo foi derramado (Ez 39: 29; Jo 14: 15- 16; Atos 2: 1- 4), tem os que tem poder e os que não tem, os que falam em línguas e os que não falam, tem os que buscam a Deus e os que não buscam. A igreja de Deus é formada pelos fortes e pelos fracos, pelos adultos e pelas crianças. Todos são membros de um só corpo, todos formam um só corpo, todos foram batizados em um só Espírito, a todos foi dado beber de um só Espírito (I Co 12: 12- 14). O batismo no Espírito Santo foi para toda a igreja (Ez. 39: 29; Nm. 11: 16-25). O poder não (Nm. 11: 25-26; I Cr 16: 1- 11). O batismo trouxe o poder (Atos 1: 8), mas também trouxe a presença (I Co 3: 16; Hb 3: 1- 6; II Co 6: 16; Ef 1: 13). A presença para sempre (Jo. 14: 15,16; Is 32: 15-17; Atos 2: 4; Atos 8: 26-40; Jo. 14: 26; Jo. 16: 7-15). A presença do Espírito Santo, e o poder de Deus na sua vida, não são para ficarem enterrados entre quatro paredes (Mt 25: 14- 28). A presença do Espírito Santo na sua vida é para você sair de casa (Mc 16: 15). Jerusalém é o lugar que você mora, Judéia é região onde você mora, Samaria é região vizinha de onde você mora, e confins da terra é em qualquer lugar, a qualquer tempo (II Tm 4: 1- 2; Atos 8: 1- 4; Mc 9: 38- 40; Mt 10: 32- 33). Clique e leia: “As Riquezas do Ide”.

O Que eu preciso fazer para ser cheio de Espírito Santo, e assim também desfrutar do poder do Espírito Santo?  Mergulhar, imergir no Espírito Santo (Ez. 47: 1-5; Ef. 5: 18-21). Como assim? Negociando com Ele, não estou entendendo? Buscando (Sl. 105: 4; Jr. 29: 11-13). Clamando (Jr. 33: 3; Sl. 86: 3,4). Pedindo (Lc. 11: 5-13; Ed. 8: 23; Mt. 21: 22). Mergulhando no rio da vida (Is. 12: 3; Jo. 7: 37-39; Is. 55: 1; Ap. 22: 17). Pedir em nome de Jesus não falha (Jo. 14: 12-14; Jo. 16: 24; Fp. 2: 9-11).

O poder é um revestimento para o crente fazer a obra e não que o poder é o batismo. Batismo é imergir, imergir é mergulhar e não revestir (Atos1: 4- 5; Jo. 14: 15-16. Lc. 24: 48,49; Atos 1: 8; Atos 3: 1-16; Atos 5: 1-16; Rm. 15: 18,19; I Co. 2: 1-5). O poder pertence ao Espírito Santo e não ao contrário (Lc. 4: 14; Rm. 15: 18,19). Quando alguém se converte (Rm 10: 4-13) passa a fazer parte do Exército de Deus (Ez. 37: 1-10; Is 13: 1-4) passa a ser um soldado de Cristo (II Tm 2: 1- 4; II Co 10: 3-4). Um novo crente, uma nova criatura (II Co. 5: 17) é selado (Ef. 1: 13), e recebe a marca de Deus (Jo. 6: 27; I Pd. 2: 1-10; Ef. 2: 1-9). 

O poder é diferente, o crente só alcança quando busca (II Cr 16: 1-11; Sl. 105: 4; Ef. 6: 10-12; Ef. 5: 18,19). Buscar com quem, e onde? Com o próprio; o Espírito Santo que já mora dentro dele (Lc. 17: 20,21; Jl. 2: 28,29; I Co. 2: 9-15; Jo. 14: 15-26; I Co. 6: 19; II Co. 6: 11-18; Ef. 2: 11-22). Muito perto, e ao mesmo tempo muito distante (Is. 29: 13; Jo. 4: 23,24; I Co. 2: 9-15; Hb. 11: 6). O Espírito Santo é uma pessoa, e com esta pessoa está o poder (I Co. 12: 1-11; I Co. 14: 1 e 12,13). Para o crente receber o poder é preciso que ele se encha da pessoa do Espírito Santo (Ef. 5: 14-18; Sl 23: 1- 5). Crente vazio não alcança o poder. (I Ts. 5: 17; Lc. 18: 1-8; Atos. 16: 16-26).


ATOS 1: 9 -
E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi levado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos

Eles estavam prestando a atenção naquilo que Jesus dizia, quando de - repente ele foi levado ás alturas. As coisas de Deus acontecem de- repente; de- repente o migre acontece; de- repente a promessa chega; de- repente o poder de Deus acontece na sua vida. Jesus foi levado até a nuvem, e ninguém mais o viu. Jesus ascendeu ao céu, mas ele é onipresente pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo (Lc 23: 39- 43; I Pd 3: 18- 20). Você não precisa ver Jesus, o que você precisa é sentir a sua presença (Lc 24: 13- 32; Mt 18: 19- 20; Mt 28: 18- 20; Atos 18: 9- 10).Da mesma forma que a Igreja viu Jesus subir com certeza ela também subirá. Aqueles irmãos que estavam no início da formação da igreja tiveram a honra e o privilégio de ver, o que só Eliseu viu (II Rs 2: 1- 11). Os próximos que irão ver o outro arrebatamento (I Ts 4: 13- 17) não vão ter nenhuma honra e nem vai ser nenhum privilégio. Por que, não estou entendendo? (II Ts 2: 1- 12; Mt 22: 1- 14; Mt 25: 1- 13).

ATOS 1: 10 - E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois varões vestidos de branco,

Os discipulos empolgados e emocionados com todos os acontecimentos (Atos 1: 4-9), não perceberam a presença dos anjos (Atos 1: 10; Sl. 34: 5-7). Os anjos sempre foram enviados em missões (Hb 1: 13-14; Atos 4: 17-20; Atos 12: 1-11). A missão destes dois foi confirmar a promessa do Senhor (Atos 1: 11; Jo 14: 18- 19; Ap 1: 17- 18).

Anjos sempre foi um assunto polêmico (Atos 23: 6 -9). A palavra anjo (no hebraico: MALAK e no grego ANGELOSsignifica mensageiro. Foram criados por Deus, antes que a Terra e tudo o que há existisse (Is 66: 1- 21; Rm 11: 33- 36). Na Bíblia nós vamos ver anjos bons e anjos maus. Porém todos foram criados por Deus, todos foram criados bons e santos (Gn 1: 31). Anjos são reais, são seres espirituais, e quando necessária uma intervenção ou uma atuação de Deus na Terra, Deus usa seus anjos, dando a eles um corpo semelhante aos humanos, mas revestido da gloria de Deus (Atos 6: 8- 15; I Co. 15: 38-44; Mt 17: 1- 2). O Novo Testamento não fala de nenhum anjo que se apresentou na igreja com mensagens, mas se isto viesse a acontecer à mensagem teria que testificar com a Palavra e com o Evangelho do Senhor Jesus (Gl 1: 8; I Rs 13: 1- 26; Cl 2: 18).

Caso alguém chegue à igreja dizendo que recebeu uma mensagem de um anjo, e esta mensagem for contrária ao Evangelho de Jesus, não creia (I Jõ. 4: 1; I Co. 14: 33). E se for semelhante ao Evangelho, também não creia (II Co. 11: 14; II Pd 2: 1- 2). Deus não usará os anjos para trazer algo que os Apóstolos, inspirados pelo Espírito Santo já trouxeram. (I Pd 1: 7- 12; II Pd. 1:  16-21; Atos 5: 17-20; Atos 8: 26 -31).
Quem decodifica a Bíblia e interpreta as revelações Bíblicas para nós é o Espírito Santo e não os anjos.
 (Jo. 16: 5 -14; Jo. 14: 25-26; Jõ. 15: 26).

Alguém pode perguntar: “Quer dizer que os anjos não se relacionam mais com o povo de Deus, como se relacionava nos tempos dos patriarcas, reis, profetas e apóstolos”? Claro que sim, só que como antigamente é um relacionamento real, por visões e por presença e não frutos da nossa imaginação ou das nossas emoções (Cl 2: 1- 18; Gl 1: 8; II Co 11: 14- 15). Veja a Palavra diz que eram dois varões, ou seja, eram como humanos, com corpo de humano no meio dos humanos (Atos 5: 17- 20; Atos 12: 1- 11; Lc 1: 26- 30; Atos 8: 26) (ver estudo: Quem criou o mal) Veja nosso estudo: Anjos em Temas Polêmicos.

ATOS 1: 11 - O quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no seu, hã de vir assim como para o céu o vistes ir.

Mesmo depois de Jesus se ocultar na nuvem Eles continuavam olhando para cima. O texto nos faz entender que eles ainda mantinham uma esperança de ver Jesus voltando naquele mesmo instante, como Jesus não voltou, deve ter batido uma tristeza. Os anjos perceberam a tristeza deles e procuraram consolá-los. Eles ouviram pela boca dos anjos, que Jesus iria voltar. Este texto confirma que os anjos estão a todo o tempo ao lado do crente Deus nunca abandona seus filhos, o crente nunca está sozinho (Atos 1: 10; Sl 34: 5 – 7; Sl 91: 1- 11). Vamos extrair deste texto ensinamentos para que venhamos compreender melhor a Palavra.

Do mesmo modo que Jesus foi ele vai voltar, do mesmo modo que aqueles irmãos primitivos o viram subir (Atos 1: 9), outros irmãos que estiverem vivos naquele dia o verão descer (I Ts 4: 13- 17). Nós já estamos vivendo os momentos que antecede a sua volta (Mt 24: 12- 14).
Quando indagado pelos seus discipulos (Mt. 24: 3); Jesus citou vários sinais, que são as evidencias pelas quais saberíamos; se a sua segunda vinda está próxima, ou ainda longínqua. Tempo de muito engano (Mt. 24: 4). Tempo de falsos profetas (Mt. 24: 11). Religiosidade e esfriamento na igreja (Mt. 24: 12; II Tm. 4: 1-4). Falsos Cristos, falsos sinais e prodígios de mentiras (Mt. 24: 23-25; II Co. 11: 13-15; II Co. 4: 1-7).
Sinais morais: A depravação moral dos últimos dias: homossexualismo, lesbianismo, dia do orgulho gay, casamento de homossexuais, sexo sem compromisso, adultério, legalização do aborto, drogas, prostituição (Rm. 1: 18-32; II Pd. 2: 4-10; Ef. 5: 11-13; Jd. 7). Tempo de festas; sextas e sábados, noites nas baladas (Mt. 24: 36- 39; I Ts. 5: 1-4; Lc. 17: 26-30; Dn. 12: 4 e 10; Ap. 22: 10-12; Mt. 24: 42-44).
Sinais sociais: Fomes, guerras, rumores de guerras (Mc. 13: 7,8), pestilências, escândalos, corrupção, seqüestros, homicídios (Jr. 23: 10; Mt. 24: 6- 10; Lc. 21: 9- 12; II Tm. 3: 1; Mt. 24: 12).

Sinais naturais: Sinais em cima do céu e embaixo da terra. Os sinais em cima do céu já temos visto como: meteoros, eclipse, mudanças na cor da lua, tempestade solar e provavelmente as gerações seguinte verão coisas espantosas (Lc. 21: 25,26; Jl. 2: 30,31; Atos 2: 19,20). Já temos visto alguns sinais na Terra como: os grandes maremotos que mataram milhares de pessoas na Ásia (As Tsunamis), e também terremotos que têm sacudido vários países (Lc. 21: 11; Mc. 13: 8; Is. 29: 6; Zc. 14: 5-9)

Sinais científicos: A multiplicação do saber e do conhecimento (ciência). Hoje em dia já é possível se prever doenças antes mesmo da criança nascer, cirurgias a laser, DNA, clonagem, telefonia celular, internet, cibernética (robotização), inseminação artificial, que permite até que o homem gere filhos mesmo depois de morto, células troncos, retirada de embriões humanos, a fim de curar doenças, por exemplo, o mal de Parkinson, câncer, entre outras (Dn. 12: 4; Ec. 3: 1; Ec. 9: 10).

Sinais entre o povo de Deus: Esfriamento do amor (Mt. 24: 12). Falta de fé (Lc 18: 8); ódio, inveja, traição, escândalos, facções, divisões (Mt. 24: 9,10; Mt. 10: 16-22); a religiosidade (II Tm. 4: 1-4), mudanças nas doutrinas (II Tm. 3: 1- 9; I Tm. 4: 1- 4; Cl. 2: 4- 23), o interesse financeiro, o apego aos bens materiais (I Tm. 6: 3-10; Mt. 6: 19-33; Tg. 4: 4,5).

Sinais religiosos: Apostasia; (desvio da fé) (I Tm. 4: 1). Quando sabemos que somos apostatas e estamos abandonando a nossa fé? Quando deixamos de seguir a verdade de Deus (Jo. 14: 6), para seguir as mentiras dos demônios (Fp. 3: 17-19; II Co. 11: 13-15); quando deixamos as doutrinas de Jesus (Jo 7: 16-17; Mt 11: 25-30), para seguir as doutrinas humanas (I Tm. 4: 1-5; Is. 29: 13), quando seguimos os sinais e prodígios da mentira (IITs 2: 7- 11; I Jo. 2: 18- 20; I Jo. 4: 6) e não verificamos na Palavra para ver se estas coisas são assim mesmo (Atos. 17: 10,11; Pv. 13: 7; Lc. 10: 21; Sl. 1: 1-3). Estão usando a Palavra de Deus para o interesse próprio (II Pd. 2: 1-3; Jd. 14-16). Quando o objetivo da nossa fé é desviado para os interesses que não seja a salvação (Rm 5: 1-11; Is 53: 1-11), com certeza estamos abertos para aceitar todas as ofertas de Satanás (I Tm. 4: 1; II Ts. 2: 3; Is. 28: 15; Jr. 23: 9-11; Jr. 2: 12,13; Pv. 9: 10; Lc. 4: 1-8; Pv. 13: 7).

ATOS 1: 12 - Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, a distância do caminho de um sábado.

Podemos imaginar aquela multidão descendo o monte das oliveiras, comentando, falando muito dos últimos dias (Lc 24: 13- 34). Talvez alguém possa ter perguntado; e agora como vai ser; o que será de nós?  (Mt 28: 18- 20; Mc 16: 15- 18; Atos 8: 1- 4). Muito foi se falando pelo caminho afinal eles tinha uma caminhada de 1 km e 80m para conversar a vontade (Distância de um sábado equivale a 1 km e 80m). Eles voltaram para Jerusalém com um único objetivo: fazer o que lhes ordenou Jesus (Atos 1: 4). Tudo que esta relacionado com a igreja, o seu inicio (Atos 6: 1- 7; Atos 2: 37- 47; Atos 4: 32- 36), a sua formação (Atos 1: 15- 26), a sua primeira diretoria (Lc 6: 12- 16; Atos 15: 1- 28), o batismo com o Espírito Santo (Atos 2: 1- 39), a Palavra (Atos 8: 1- 4), tudo iniciou em Jerusalém, tudo que temos veio de Jerusalém, não dá Jerusalém de hoje (Jo 4: 19- 24; Mt 23: 1- 39), mas da Jerusalém dos tempos da igreja primitiva (Atos 1: 4; Mq 4: 1- 2; Lc 24: 46- 47). Foi em Jerusalém que Jesus formou á igreja (I Co 12: 12- 27; I Co 11: 23- 26), Foi em Jerusalém que Jesus ensinou á igreja (Atos 1: 1- 3), foi em Jerusalém que Jesus batizou á igreja (Atos 2: 1- 4), foi em Jerusalém que Jesus capacitou à igreja (Atos 1: 8; Jo 14: 26), foi em Jerusalém que Jesus delegou o seu poder á igreja (Mt 16: 13- 19), Foi em Jerusalém que a igreja revestida de todo poder que há no nome de Jesus iniciou trajetória de vitória sobre a morte e o inferno (Mc 16: 15- 18; Fp 2: 9- 11; Ap 1: 17- 18).

ATOS 1: 13 - E, entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam Pedro e Tiago, João e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelote, e Judas, de Tiago.

Cenáculo é na verdade uma palavra latina (coenaculum) que basicamente indicava no mundo romano o local onde se jantava ou, de modo mais geral, andar superior da casa onde se subia através de uma escada. Era ali que se costumava jantar, a principal refeição do dia, da qual participavam todos os familiares e eventuais hospedes. Foi um cenáculo o lugar escolhido por Jesus para celebrar a última ceia (Mc 14: 12- 15). Veja que texto fala de um grupo de pessoas que foram em direção a uma residência: “E entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam os apóstolos.

O que eles estavam fazendo habitando ali no cenáculo? Todos tinham suas casas, e todos tinham suas famílias? Eles estavam reunidos naquele lugar desde o dia que Jesus determinou que eles não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa que Dele (Jesus) eles tinham ouvido (Atos 1: 1- 4). O que eles fizeram? Eles se agarraram nas Palavras do Senhor Jesus (Jo 6: 68). Eles entenderam que era pare esperar em Jerusalém, mas não era para esperar dispersos, ou seja, cada um cuidando da sua vida, eles fizeram conforme Jesus ordenou (Jo 15:9- 17; Sl 133; Atos 2: 1) . Um grupo de pessoas se juntou a eles para orar e esperar á promessa (Atos 2: 37- 39)). Durante o seus Ministério terreno Jesus preparou estes homens, falou e ensinou a eles tudo que estava relacionado com á igreja. Igreja não é algo da criação humana, até  então ninguém tinha ouvido falar de igreja, igreja veio do Céu (Jo 3: 16; Cl 1: 3- 19). Os discipulos precisavam entender este assunto (Ef 1: 3- 13; I Co 12: 1- 27; (II Pd 3: 15- 18), mas tinha coisas que era impossível ele saberem, eles iriam precisar de ajuda (Jo 14: 18- 26; Jo 16: 7- 14; Is 48: 17). A parte dos homens já estava sendo formada (Lc 6: 12: 16ª); pertencia aos homens Atos 1: 1- 4) e estava sendo feito pelos homens (Jo 14: 23; Jo 21: 14- 17; Lc 22: 29).

ATOS 1: 14 - Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com seus irmãos.

O texto me faz entender que este grupo de pessoas que se ajuntou a eles em oração foi às mulheres dos apóstolos, a mãe de Jesus e seus irmãos (Atos 1: 13). Os apóstolos estavam ali há dias em oração, e outros irmãos foram se ajuntando á eles. Comece a orar em sua casa chame a sua família, comece sozinho, comece com poucos, mas comece. Faça a sua parte! (I Ts 1: 17; Lc 18: 1- 8; Sl 55: 17). Veja: Só os apóstolos começaram a orar no cenáculo (Atos 1: 13- 14), agora já se ajuntaram á eles as mulheres, a mãe de Jesus e os irmãos. Todos eles perseveravam no mesmo objetivo, no mesmo ideal. Eles tinham um alvo, eles tinham a promessa, eles não perderam o foco. A oração dos apóstolos e famílias deu resultado, o grupo foi aumentando (Atos 1: 15), e aumentou sobre maneira (Atos 2: 37- 41; Atos 4: 1- 4). Eles fizeram o principal, foram orar, aprenderam com o mestre (Mt 14: 22- 25; Mc 14: 32- 37; Lc 18: 1).

Precisamos buscar o Poder da Igreja Primitiva, pois sem este Poder não somos pentecostais, podemos falar em línguas estranhas, mas somos semelhantes aos tradicionais temos Palavras temos as línguas, mas não temos os Dons e a Unção. Podemos dar bons testemunhos, mas não somos as testemunhas. Podemos dar bons frutos, mas não damos os frutos que permanece , podemos criar organizações, denominações, congregações, grupos, e clubes, mas jamais seremos parecidos com a Igreja de Atos (Jõ. 14: 12). Eles eram unânimes: (o mesmo ideal, o mesmo objetivo) perseverante cheio de alegria e unção.
Deus chama o crente para a intercessão, para muitos a intercessão era para aqueles homens do passado. Isto é para nós, para nossos filhos, para a nossa geração. Atos 2: 39.

Deus não está procurando pessoas perfeitas, super-homem ou super heróis, mas sim pessoas dispostas a ficar na brecha (Ez. 22: 30).
                                      
LISTA PARA INTERCESSÃO: Alguns exemplos - País – Brasil – Jerusalém – Israel – Toda a Terra.
Estados – Cidades –Presidentes, Governadores, Prefeitos, Políticos em geral. Bairros, ruas, visinhos, Família, filho, esposa, esposo. Parentes, crianças, amigos, inimigos. Andarilhos, mendigos, presos, viciados, traficantes, criminosos e todos com problemas sociais. Transito enfermos e doentes. Igrejas, pastores, Ministérios, grupos, irmãos, novos convertidos e tantos outros motivos. Olhamos para aqueles homens do passado como se eles pertencessem a uma elite superior, a uma classe de santos que viveram em um nível superior ao restante da humanidade, aqueles homens eram iguais a nós de carne e osso, com os mesmos problemas e as mesmas dificuldades. (Tg. 5: 17, I Ts 5: 17; Lc 18:1).

ABRÃO não esperou a promessa (Gn. 15: 1- 5, Gn. 16: 15; Rm 4: 17- 21) – mentiu (Gn. 12: 10 – 20), no entanto intercedeu por Ló e sua família e Deus ouviu a sua oração (Gn. 18: 17 -33; Gn 19: 1- 30). A Bíblia não disfarça que cada personagem em destaque tinha uma, ou mais fraqueza, decepcionaram a Deus uma, ou mais vezes.

Algum ser humano já realizou tanto através da oração quanto MOISÉS?

MOISÉS: Era um exemplo de amor, paciência, obediência e oração tirou um povo idolatra e obstinado da escravidão, os transformou de nação de idolatras em uma nação de adoração, suportou-os por quarenta anos no deserto, e era criminoso (Ex. 2: 11 – 15). Ele enfrentou rebeliões (Nm. 16), problemas familiares, sua mulher e seus filhos não fizeram parte da história, entretanto ele intercedeu para o povo e Deus ouviu (Ex 32: 1- 14; Dt. 9: 11 -19; Nm 12: 1- 15).

DAVI não era nem respeitado, não era apreciado por sua família (ISm. 16: 10 – 11); fugiu foi perseguido, se escondeu em cavernas, passou fome, adulterou, mandou matar um inocente, enfrentou rebeliões familiares, rejeição do seu povo, mas orou e Deus derrubou o gigante que afrontava e humilhava o povo de Israel (ISM 17: 1- 50). Deus viu que Davi era um homem diferente (Atos 13: 22). Por que Davi era um homem diferente? (Sl 5: 2; Sl 55: 17; Sl. 109:4).

Temos outros exemplos: PEDRO foi usado pelo diabo logo depois de fazer a sua grande confissão de Jesus (Mt. 16: 13 – 33); negou a Jesus (Lc. 22: 54 – 62), mas Pedro era um homem de oração (Atos 3: 1), ele gostava tanto de oração que quando Jesus ia orar, Jesus o chamava (Mt. 17: 1; Mc. 1 4: 32 – 38).

O que dizer de PAULO perseguiu a igreja, oprimiu, consentiu na morte de Estevão (Atos 22: 1 – 20; Atos 8: 1), mas jamais podemos negar Paulo foi o maior intercessor que a Igreja Primitiva teve (Atos 16: 9- 13; Atos 21: 1- 5; Cl. 1: 9; I Ts. 3: 6 – 10).

O que dizer da Igreja Primitiva que derrubou as portas do inferno (Mt. 16: 18 e 19), abriram cadeias, quebraram grilhões através de uma vida de oração e intercessão (Atos 12: 1 – 12; Atos 16: 19 – 26; Ap 5: 1- 8).

Os homens da história da igreja que fizeram grandes obras, fizeram através de uma vida de oração e intercessão

O escocês John Knox, o inglês John Wesley. David Livingstones morreu de joelhos, todos estes homens eram como nós, vamos nos juntar a Jesus que intercede por nós diante do Pai, ao Espírito Santo que intercede com gemidos inexprimíveis e formar a trindade de intercessores (Hb. 7: 22 – 28; Rm. 8: 2). Se estes homens fizeram parte de uma elite diferenciada, ou estiveram em nível superior, Deus chama você para fazer parte desta elite ou para estar em um nível superior aos outros crentes (I Co. 2: 9; Jr 33: 3; Jr 29: 11- 13; Sl 25: 14; Pv 8: 17).

MATIAS É ESCOLHIDO APÓSTOLO EM LUGAR DE JUDAS

ATOS 1: 15 - E, naqueles dias, levantando-se Pedro no meio dos discípulos (ora, a multidão junta era de quase cento e vinte pessoas), disse:

O Grupo de irmãos que se reuniram no cenáculo, estava aumentando, agora não era mais só os apóstolos as mulheres, a mãe de Jesus e seus irmãos, agora era quase cento e vinte pessoas, a multidão estava reunida no mesmo lugar (Atos 2: 1), a diretoria estava formada (Lc 6: 12- 16ª; Pv 11: 14), era uma diretoria de oração (Atos 1: 13- 14; Atos 6: 1- 4). O pastor do rebanho também já tinha sido escolhido (Jo 21: 14- 17), a igreja já existia e tinha quase cento e vinte membros (Mt 16: 13- 19). Veja que Pedro se levanta no meio dos discipulos. Qual entendimento pode tirar neste texto? A igreja de Cristo não é formada por membros de banco, o que forma membro de banco é a religião (Mt 23: 1- 7), a igreja forma discipulos (Atos 6: 1- 7).

ATOS 1: 16 - Varões irmãos, convinha que se cumprisse a escritura que o Espírito Santo predisse pela boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam a Jesus;

Eles preservavam a Palavra pura e genuína, veja: Pedro foi buscar na Bíblia, não houve intervenção ou qualquer tipo de sabedoria humana, na hora de arrumar um substituto para Judas eles foram direto ver o que falava a Palavra de Deus (Js 1: 8). Pedro se levanta no meio dos discipulos citando o Espírito Santo e necessidade de cumprir a Palavra de Deus, e traz dentro da Palavra de Deus a primeira decisão a ser tomada pela igreja (Atos 1: 20; Pv 11: 14). Toda decisão a ser tomada pela igreja, tem que ser tomada com fundamento na Palavra de Deus, é isso que nos ensina Palavra de Deus (Sl 1: 1- 3; Sl 105: 11 e 105; Is 8: 20). Pedro mostra dentro das escrituras, que o que aconteceu com Judas não aconteceu por acaso, aquilo que aconteceu com respeito à traição de Jesus, aconteceu porque tinha que acontecer, estava escrito (Is 43: 13). Era a primeira pregação de Pedro e a primeira também da igreja. Pedro fundamentou a sua pregação em cima do que estava escrito (Sl 69: 25; Sl 109: 8; Sl 41: 9). Você quer dizer que Judas estava predestinado a ser o vilão? Não.

Em nenhum dos textos mencionados nos Salmos fala o nome do traidor, observamos que Jesus também não mencionou o nome do traidor (Jo 13: 21- 26). A Palavra de Deus não volta vazia, quando ela sai da boca de Deus ela sai para acontecer (Is 55: 11). Alguém tinha que trair (Sl 41: 9), um daqueles que estavam sentado á mesa iria ser o traidor (Mt 26: 17- 23; Lc 22: 7- 22). Judas era ladrão, o diabo já vinha trabalhando na sua vida há muito tempo (Jo 12: 1- 6; Jo 6: 61- 69), a brecha para o diabo entrar em sua vida já existia (Jo 13: 1- 10). A palavra tinha que se cumprir. Satanás estava rodeando a todos (Lc 22: 31- 32; I Pd 5: 8), porem, só em Judas ele encontrou á brecha (Lc 22: 1- 6; Ef 4: 27). O Livre arbítrio nos impede de transferir responsabilidade (Gn 3: 1- 13; Gn 2: 16- 17; Dt 30: 14- 19). Veja que o próprio Judas reconhece a sua culpa (Mt 27: 1- 4; Lm 3: 39). Qual foi a brecha que Judas deu para Satanás entrar em sua vida? Foram duas: Incredulidade (Mt 6: 19- 24; Is 53: 1) e ganância (Mt 26: 14- 16; I Tm 6: 3- 10; Ec 5: 10; Ec 7: 12)

ATOS 1: 17 - Porque foi contado conosco e alcançou sorte neste ministério.

Judas foi escolhido por Jesus, fazia parte da diretoria, tinha ministério (Mt 10: 1- 4), era o tesoureiro (Jo 12: 1- 6). Judas foi contado com os outros, ou seja, como os outros, ele foi escolhido pessoalmente por Jesus (Lc 6: 1- 4), e como diz Pedro no Texto “alcançou sorte neste ministério”. Fazer parte da igreja de Cristo já é uma sorte muito grande, eu considero o maior premio que alguém possa ganhar durante todo o seu tempo de vida (Lc 12: 13- 21).

Fazer parte do ministério que foi o primeiro, o escolhido pessoalmente pelo Senhor Jesus; não da para imaginar o tamanho do tesouro (Mt 13: 44- 46); Judas valorizou? Não, se tivesse valorizado ele não trocava a glória de Deus por dinheiro (Mt 27: 1- 4; Jo 12: 1- 6). Igual há Judas tinha muitos (II Tm 4: 10ª; Mt 6: 24), igual a Judas tem muitos (II Co 11: 13- 15; Jd 11: 16; Atos 20: 18- 30; Ap 2: 2). Têm muitos em nosso meio que estão trocando o santo pelo profano (Hb 12: 12- 16; Ez 44: 23), o precioso pelo vil (Jr 15: 19), a glória de Deus (Lc 4: 4), pela glória do mundo (Lc 4: 1- 3); a riqueza de Deus (Lc 4: 8; Jo 4: 23- 24), pelas riquezas do mundo (Lc 4: 5- 7; Mt 6: 19- 24; I Tm 6: 3- 10).

ATOS 1: 18 - Ora, este adquiriu um campo com o galardão da iniquidade, e, precipitando-se, rebentou pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram.

Judas era carnal, mas estava na presença do todo poderoso (Lc 6: 12- 16). Entre os doze foi o único que valorizou mais o humano, do que o espiritual (Hb 12: 16; I Co 2: 14- 15); mais o terreno do que o celestial; trocou a glória de Deus pela glória do mundo (Fp 3: 18- 19), voltou o seu coração pela riqueza do mundo e abandonou as riquezas do Reino de Deus (Lc 22: 29- 30); pagou o preço, foi enganado por Satanás (Mt 27: 1- 4; Gn 3: 1- 13), e recebeu como premio o galardão da iniquidade (Mt 26: 14- 16; Jo 12: 6). Judas possuído por Satanás (Lc 22: 3; Jo 6: 70- 71), perdeu a capacidade de raciocinar, e nem pensou na possibilidade do perdão (Jo 3: 16; Jo 14: 6) aceitou a opção que o príncipe das trevas lhe apontou (I Pd 5: 8; Ef 4: 27). A mente de Judas estava totalmente dominada por Satanás, então ele deve ter ouvido. “O que vocês fez, não tem perdão, não lhe resta outro caminho, suicídio”. (Is 53: 1- 11).  Por que Judas não pensou na possibilidade de pedir perdão a Jesus? Por falta do Espírito Santo.

O Espírito Santo ainda não tinha sido derramado (Jo 16: 7- 11). Sem o Espírito Santo e totalmente possuído por Satanás, foi difícil para Judas, se arrebentou todo. O dinheiro, ou seja, ás trintas moedas de pratas, que Judas foi lá devolver, serviram para comprar um campo (Atos 1: 19), este foi premio de Judas, este foi o seu galardão, o preço pago pela sua iniquidade (Mt 26: 14- 16; Mt 27: 1- 10; Zc 11: 12- 13). 

ATOS 1: 19 - E foi notório a todos que habitavam em Jerusalém, de maneira que na sua própria língua esse campo se chama Acéldama, isto é, campo de sangue.

A igreja de Atos dos apóstolos nos ensina que toda atitude, toda decisão a ser tomada tem que ter como base a Palavra de Deus, veja a riqueza do texto: Pedro esta falando de um campo que pertencia a um oleiro (Mt 27: 7). Este campo foi comprado com ás trintas moedas de pratas, preço pago há Judas por ele ter entregado o nosso Senhor Jesus Cristo (Zc 11: 12- 13).  Os príncipes dos sacerdotes não acharam dignos pegar aquele dinheiro por ser por ser preço de sangue (Mt 27: 1- 6). Em tão o que eles fizeram compraram este campo, campo que pertencia a certo homem, cuja profissão era oleiro e fizeram neste campo cemitério para estrangeiros (Mt 27: 7), o qual se chama campo de sangue (Mt 27: 8), e isto foi de conhecimento de todos que habitavam em Jerusalém. Por que Pedro traz este assunto em sua pregação? Porque todos estes acontecimentos estavam levando a uma revelação com respeito à formação do corpo ministerial da igreja no seu inicio.  Como Pedro entendeu isto? Pedro foi buscar na Palavra de Deus. Pedro foi buscar as profecias que revelava aqueles acontecimentos (Sl 69: 25; Sl 109: 8). Pedro usou a luz (Sl 43: 3; Sl 112: 4).

O Espírito Santo ainda não tinha sido derramado, Jesus já não estava entre eles, o momento era difícil, eles tinham que tomar uma decisão. A Palavra é a revelação. Pedro usou a luz da Palavra (Sl 119: 105). Pedro não queria errar, então dentro da pregação ele procura trazer para a igreja a revelação do momento. A morte de Judas era a revelação daquele momento da igreja (Atos 1: 16- 18). O Espírito Santo pela boca dos profetas já dizia que haveria um traidor (Sl 41: 9), que o traidor iria receber como pagamento trintas moedas (Zc 11: 12), dinheiro que iria ser usado para comprar um campo, campo que serviria de cemitério para os estrangeiros. Tudo estava escrito, e tinha acabado de acontecer, Agora Pedro atinge o objetivo em sua pregação a morte Judas.

A morte de Judas influenciaria em que a formação do corpo ministerial da igreja? A necessidade de se eleger um substituto para Judas (Atos 1: 20). Vamos nos render á igreja no seu inicio, eles começaram forte, muito forte! Sem Jesus, sem o Espírito Santo e mesmo assim eles começaram com muita oração (Atos 1: 13- 14) e muita Palavra revelada (Atos 1: 15- 20; Sl 119: 11 e 105; Sl 1: 1- 3).   

ATOS 1: 20 - Porque no livro dos Salmos está escrito: Fique deserta a sua habitação, e não haja quem nela habite; tome outro o seu bispado.

Pedro usa como base o livro dos Salmos, para mostrar à igreja a importância de fazer eleição para a escolha do substituto de Judas. A igreja de Deus ela anda pela Palavra de Deus. Eles não tinham a luz de Jesus e nem a luz do Espírito Santo, mas eles tinham luz da Palavra (Sl 119: 105). A Palavra diz: Fique deserta a sua habitação (Sl 69: 25), ou seja, decretou a morte do traidor (Mt 27: 4- 5). Cuidado a Palavra é inimiga dos traidores. Pedro encontrou dentro dos Salmos a Palavra que apontava para a necessidade de outro ocupar o lugar deixado por Judas (Sl 109: 8). Vai abrir um ponto de pregação na sua casa? Vai abrir uma igreja?Não tome nenhuma decisão sem antes buscar no Pai (Jr 29: 11- 13), orando muito (I Ts 5: 17; Lc 18: 1; Sl 55: 17), sem antes buscar na Palavra (Sl 119: 11; Sl 1: 1- 3; Jo 7: 16- 17), sem antes consultar o Espírito Santo (Jo 14: 26; Jo 16: 8- 15; Is 48: 17). Siga o exemplo da primeira igreja, busque o Pai, a Palavra e o Espírito Santo (I Jo 5: 7).

ATOS 1: 21 e 22 - É necessário, pois, que, dos varões que conviveram conosco todo o tempo em que o Senhor entrou e saiu dentre nós, começando desde o batismo de João até o dia que dentre nós foi recebido em cima, um deles se faça conosco testemunha da sua ressurreição

Tinha quase cento e vinte pessoas no lugar e só dois se colocou em condições de ocupar o lugar que ficou vazio devido à morte de Judas (Atos 1: 23). Pouco se sabe sobre o escolhido (Matias); (Atos 1: 26), mas o texto nos faz entender que para participar da eleição o candidato tinha que ter estado com eles desde que Jesus começou a pregar e ensinar entre eles (Mc 1: 1- 17; Lc 3: 1- 22; Lc 4: 1- 21), ou seja, os que se ajuntaram ao grupo depois da ressurreição de Cristo não poderiam participar (Atos 1: 22). Podemos deduzir que muitos dos que estavam ali tinham condições de participar da eleição e provavelmente outros alem de José e Matias participaram. “Quem não gostaria de fazer parte dos doze”? Tinha promessas para os doze (Lc 22: 24- 30; Ap 21: 14). Em que você se baseia para falar isto? Os irmãos de Jesus estavam ali, poderia ser um deles (Atos 1: 14; Mc 6: 1- 3).  

Pedro ressalta a importância de estar com eles desde o batismo de João (Mt 3: 1- 6) até o dia em que Jesus foi recebido no céu (Atos 1: 1- 10). Por quê? A primeira demonstração diante de Deus, dos anjos, dos demônios, dos homens e da sociedade que o crente faz parte da igreja de Cristo é o arrependimento. Onde não há arrependimento não há perdão de pecados (Lc 3: 1- 3). Ninguém pode fazer parte da igreja de Cristo se não tiver os seus pecados perdoados por Deus (Rm 5: 12- 20; Is 53: 1- 10; Dn 9: 1- 24; Rm 10: 8- 13). O arrependimento nasce no coração antes das águas, o batismo nas águas só simboliza o que já aconteceu no coração do convertido (Atos 10: 1- 47; Rm 4: 17). Se Deus sabe que eu já estou arrependido dos meus pecados; então não há necessidade de se passar pelas águas? A confissão publica é necessária (Mt 3: 13- 15; Atos 2: 38; Jo 3: 22). Alem da confissão publica era também necessário ser testemunha da ressurreição, ou seja, ter conhecido Jesus antes e depois de sua morte. O que entendemos? Que alem do crente passar pelas águas e se tornar membro do corpo de Cristo, é necessário ser testemunha do Cristo que vive (Atos 18: 9- 10; Lc 24: 13- 34; Jo 20: 19- 27; Ap 1: 17- 18).

ATOS 1: 23 - E apresentaram dois: José, chamado Barsabás, que tinha por sobrenome o Justo, e Matias.

Havia critérios para participar da eleição. A vaga deixada por Judas era para cuidar das finanças da igreja (Jo 12: 1- 6). Alem de ser um crente desde o inicio, ter andado com Jesus (Atos 1: 21- 22), a vaga tinha que ser ocupada por alguém que também entendia do assunto, ai muitos dos que aspiravam ao apostolado ficaram de fora. Mateus entendia do assunto (Mt 9: 9), mas ele já era apóstolo (Mt 10: 1- 3). Somente José Barsabás e Matias estavam preparados para ocupar este cargo tão importante na igreja de Deus (Lc 11: 43- 49). Pedro liderando a igreja e a eleição nos ensina como se inicia uma igreja (congregação local) (Pv 11: 14), e como é a igreja do Senhor Jesus Cristo (Mt 16: 13- 19). Não foi escolhido qualquer um; não escolheram por parentesco (Atos 1: 13- 14), amizade (Mt 20: 21- 23), poder aquisitivo (Tg 2: 1- 4), mas chegou ao final da eleição àqueles que realmente estavam preparados para ocupar o cargo e ser o décimo segundo apóstolo (Atos 1: 20; Sl 69: 25; Sl 109: 8).

ATOS 1: 24 - E, orando, disseram: Tu, Senhor, conhecedor dos corações de todos, mostra qual destes dois tens escolhidos,

Pedro é um grande exemplo á ser seguido, foi um grande líder (Jo 21: 15- 19). O texto mostra o caráter do verdadeiro apóstolo (Jo 4: 23- 24; Sl 101: 6). Quando todos chegaram e se ajuntaram a eles (Atos 1: 15), Pedro e os outros dez apóstolos já estavam em oração (Atos 1: 13- 14). Pedro não se vangloriava de ser apóstolo, ele tinha aprendido com o mestre (Mt 11: 25- 30; Jo 13: 1- 9), foi buscar na Palavra de Deus (Atos 1: 16- 20). Pedro estava sem o seu grande mestre (Jo 13: 13), sem aquele que o direcionava (Jo 8: 12), o Espírito Santo ainda não tinha sido derramado (Atos 1: 1- 5; Atos 2: 1- 4). Para muitos, Pedro estava perdido, cego, e sem luz, e como conseqüência dirigiu a igreja à escolha do apóstolo errado (Jo 6: 60- 68). Pedro não estava fazendo o que ele achava ou pensava, ele estava ouvindo a voz do céu, ao invocar a Palavra de Deus como base para a escolha do substituto de Judas ele trouxe a seu favor o testemunho do Pai, da Palavra e do Espírito Santo (I Jo 5: 7). Pedro ao entrar na presença de Deus através da oração e da Palavra, ele adora, e entrega a escolha á quem de fato conhece os corações (Is 16: 1- 7; I Cr 28: 9; Pv 21: 2).

ATOS 1: 25 e 26 - Para que tome parte nesse ministério e apostolado, de que Judas se desviou, para ir para o seu próprio lugar- E lançando-lhes sortes, caiu a sorte sobre Matias. E, por voto comum, foi contado com os onze apóstolos.

A vaga de apóstolo e o cargo de tesoureiro tinham que ser alguém escolhido por Deus. Havia promessa para os apóstolos (Lc 22: 24- 30; Ap 21: 12- 14), a transparência nas finanças da igreja é fundamental (II Co 8: 1-21; Mt. 5: 13-16). O cargo de tesoureiro é um cargo de confiança, e sendo de confiança só o presidente escolhe. Quem é o líder Maximo da igreja? Pedro se humilhou, reconheceu o dono da seara (Mt 9: 35- 38) entendeu a sua posição (Jo 3: 30). Pedro foi direcionado pela Palavra, foi apenas o vaso, o canal, mas quem é o líder, o responsável, o dono da obra? Deus, portanto a escolha tinha que vir de Deus. E de que forma essa escolha iria acontecer?A Palavra direcionou os apóstolos a preencher a vaga deixada por Judas, Pedro encontrou no livro de Salmos a revelação profética, que apontava para a necessidade de alguém substituir Judas (Atos 1: 20). Observe: Esta igreja começou orando muito (Atos 1: 13- 14 e 24; Lc 18: 1- 8) buscou a Palavra revelada (Is 34: 16) e a Palavra revelou (Sl 69: 25; Sl 109: 8).

Era importante preencher a vaga deixada por Judas (Ef 4: 27; I Pd 5: 8; Zc 3: 1; Ap 12: 10). Há os que entendem que Pedro e os outros apóstolos foram precipitados na escolha do substituto de Judas.  Por quê? Porque eles não esperaram o Espírito Santo para ajudar na escolha (Jo 14: 26; Atos 15: 28). Outros dizem ter Deus rejeitado a escolha de Matias, pois o plano de Deus era para Paulo. Penso diferente. Paulo todas as vezes que falou sobre o seu ministério apostólico ele não deu á entender que ele era o décimo segundo apóstolo (Rm 1: 1; Rm 11: 13; Gl 1: 6- 17; I Tm 2: 1- 7), e em nenhuma de suas cartas ele mencionou sobre eleição de Matias (I Co 15: 1- 10), e ele podia, pois tinha autoridade para isto (Gl 2: 1- 14; II Pd 3: 15- 18; Gl 1: 11- 12), falou sim da importância dos apóstolos. Depois da escolha dos doze o ministério apostólico permaneceu na igreja.  (Ef 4: 1- 12;  I Co 12: 27- 31; Ap 2: 1- 2; II Co 11: 13- 15).

Jesus após e ressurreição esteve por quarentas dias com os discipulos ensinando (Atos 1: 1- 3. Ainda que os discipulos não tivessem tempo ou oportunidade de perguntar sobre o substituto de Judas após Jesus ter sido preso (Mc 14: 43- 52), mas durante estes quarentas dias eles tiveram. Será que Pedro ou qualquer outro discípulo não falou nada com Jesus sobre o assunto? (Lc 9: 51- 54). Pedro, João e Tiago eram íntimos de Jesus (Mt 17: 1- 2; Mc 14: 32- 33), Jesus conhecia o pensamento de cada um deles (Jo 16: 1- 6), será que durante estes quarentas dias que Jesus passou ensinando, Jesus também não falou nada sobre o assunto? (Mc 4: 10- 11). Ou será que Jesus falou e mandou que esperassem (Atos 1: 4- 5), e eles foram rebeldes? (Pv 9: 10). Se Jesus falou (Lc 6: 12- 13), com certeza eles não foram rebeldes (Jo 6: 60- 68), e se Jesus não falou com certeza eles perguntaram (Jo 13: 21- 26). A resposta de Jesus deve ter sido: Vai orar (Lc 18: 1- 8), jejuar (Jo 5: 33- 35)e buscar na Palavra (Is 34: 16) e Deus vai te responder (Jr 29: 11- 13; Jr 33: 3; Sl 119: 11 e 105).

Eles fizeram o certo, eles não tinham a presença de Jesus seu grande mestre, e também sem o Espírito Santo, pois este ainda não havia sido derramado. O que eles fizeram? Foram orar (Atos 1: 13 – 14) e buscar na Palavra (Atos 1: 15-16). Aprenderam com Jesus (Jo 15: 1- 16). Este método de se aproximar de Deus deu tão certo que eles continuaram usando (Atos 6: 1- 4; Atos 12: 1 – 12). A escolha de Matias estava fundamentada na Palavra de Deus, os apóstolos contavam com o Testemunho da Palavra (I Jo 5: 7). A igreja poderia usar o método que muitos pastores e apóstolos usam hoje em dia. Qual? Escolher por amizade, parentesco, poder aquisitivo. A igreja primitiva mesmo sem a luz de Jesus (Jo 8: 12) e sem a luz do Espírito Santo (Jo 14: 26), ela preferiu deixar Deus escolher por ela (Sl 119: 11). A igreja primitiva não andava pelas emoções (Cl 2: 18; Gl 1: 8), eles preservavam a Palavra genuína, eles usavam a Palavra em verdade (Jr 23: 28- 29). Foram orar (Atos 1: 24) e buscar a Palavra revelada (Is 34: 16). Usaram o Urim e Tumim (I Sm 28: 6), e pelo Urim e Tumim Deus respondeu (Atos 1: 24 – 26; Jr 33: 3; Jr 29: 11 – 13).

O que é Urim e Tumim? O Urim e Tumim são uma expressão proveniente do hebraico, e significa luzes e perfeições, de acordo com o Livro de Êxodo remontam o Sumo Sacerdote de Israel (Ex 28: 30). Não se tem informação do que era. Alguns crêem que Urim e Tumim eram duas pedras que eram cortadas a ponto de chegar  a forma triangular com três faces cada uma, contendo em uma face resposta positiva, outra resposta negativa e sem resposta, então fazia se uma pergunta e jogava as pedras, de acordo com os lados que caíssem era confirmado uma resposta negativa, positiva ou sem resposta. Estas pedras eram e eram colocadas no peitoral do Sumo Sacerdote de Israel, (Ne 7: 63- 65;Ed 2: 63; I Sm 28: 1 – 6). Você pode perguntar: mas este método não é do tempo da lei, Velho Testamento? Eles iriam fazer o quê? A Palavra que eles tinham era o Velho Testamento (Ap 19: 9-10; I Jo 5: 17). A igreja no seu inicio era formada só por judeus convertidos (Atos 10: 1- 28). A lei, as tradições, os costumes tudo ainda fazia parte da vida deles (Gl 2: 1- 15).

O conhecimento vem aos poucos, e com eles não foi diferente (Jo 14: 26; Jo 16: 7- 13). Lembramos que eles ainda não tinham o Espírito Santo e nem o Novo Testamento, eles confiaram na luz que eles tinham no momento (Jó 29: 1 – 3; Sl. 119: 105; Sl. 1: 1 – 3). Qual entendimento? Em tempos de trevas, escuridão, tempos em que não conseguimos resposta de Deus, de Jesus e do Espírito Santo confie na Palavra escrita, ela será a tua luz (Jr. 1: 12; Nm. 23: 19; Jo 7: 16-17; Mt 28: 18- 20; Atos 18: 9- 10).

Com Jesus eles aprenderam muito, mas tinha coisas que eles só poderiam ouvir do Espírito Santo. O que eles fizeram? (Sl 122: 1; Sl 133: 1; Atos 2: 1).

Pr. Ev. Sérgio Lopes Voltar para o mergulhando

Leia os outros capítulos: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25 26 27 28                          

 

 


BUSQUE NO SITE:




DEIXE SEU RECADO:

   

Amazing Counters

Já visitaram


© 2009 PALAVRAS DA VIDA - SUA IGREJA NA INTERNET | Todos os dirseitos reservados |